Escola das Profissões: Prefeitura prorroga até dia 18 inscrições para cinco cursos

755 pessoas já se inscreveram nas 19 qualificações gratuitas oferecidas pelo Município. Aulas iniciam no dia 24 de outubro

Com mais de 700 pessoas inscritas nos 19 cursos de qualificação gratuitos ofertados pela Prefeitura de Passo Fundo no programa Escola das Profissões, a terceira edição do projeto reforça o interesse dos passo-fundenses na formação técnica para o mercado de trabalho. Para o prefeito, Pedro Almeida, esse cenário é bastante positivo. “Lançamos a Escola das Profissões justamente com o objetivo de permitir que as pessoas tenham um espaço para a formação profissional de qualidade, melhorando sua empregabilidade. Nesta terceira edição, quando oferecemos mais 19 cursos, observamos o aumento da procura, o que nos deixa muito satisfeitos”, avaliou.

Iniciadas no dia 05 de outubro, as inscrições para esta etapa da Escola das Profissões encerraram na quarta-feira (12). Mas, de acordo com o prefeito, para permitir que mais pessoas possam participar, a Prefeitura prorrogou o prazo até o dia 18 de outubro, para novas inscrições em cinco capacitações. Ainda há vagas disponíveis para os cursos de Assistente Comercial, Inglês para atendimento ao Público, Cuidados às Crianças, Jogos Digitais I e Elaboração de Planilhas. “É uma nova oportunidade para as pessoas que perderam o prazo e querem se qualificar nestas áreas”, destacou Pedro.

Assim como nas edições anteriores, são as mulheres que estão demonstrando mais interesse nas qualificações. Dados da coordenação da Escola das Profissões mostram que elas representam 86% do número de pessoas inscritas nesta terceira etapa do programa. “É interessante observar que muitas mulheres estão ingressando na Escola das Profissões com a intenção de aprenderem um ofício para aumentarem a renda doméstica e conseguirem sua independência financeira. Diversos cursos contam com turmas compostas apenas por mulheres e sempre que dialogamos com elas, ouvimos histórias comuns de quem está procurando ter oportunidade e renda”, analisou o prefeito, comemorando ainda que em todas as etapas da Escola, as gestantes atendidas pelo programa ‘Meu Bebê, Meu Tesouro’ estão entre as inscritas.

As aulas desta etapa da Escola das Profissões estão previstas para iniciar no dia 24 de outubro, nas faculdades Anhanguera e Ideau, estão recebendo as turmas de alunos. As pessoas selecionadas para os cursos serão contatadas pela coordenação do programa para a efetivação da matrícula.

As inscrições devem ser feitas através do link: http://eprof.educapf.org

Prefeitura entrega novas instalações da Escola Municipal dos Autistas à comunidade escolar

Reivindicada pela comunidade para ser um espaço de formação e inclusão às crianças e adolescentes com o Transtorno do Espectro Autista (TEA), a Escola Professora Olga Caetano Dias teve sua construção iniciada na gestão do ex-prefeito Luciano Azevedo, e foi concluída pelo prefeito, Pedro Almeida, que fez a entrega oficial da instituição

Os espaços escolares são ambientes essenciais para o desenvolvimento de todas as crianças e adolescentes. No caso daquelas que estão no Transtorno do Espectro Autista (TEA), esses locais são fundamentais também para garantir a socialização, a aquisição de habilidades e, claro, o aprendizado curricular. Por isso, a Prefeitura de Passo Fundo estruturou um espaço moderno, acolhedor e projetado para atender as demandas pedagógicas e psicossociais destes estudantes: a Escola Municipal dos Autistas (EMAU) Professora Olga Caetano Dias.

A obra, iniciada na gestão do ex-prefeito Luciano Azevedo, foi inaugurada neste sábado (08) e entregue, oficialmente, pelo prefeito Pedro Almeida, em uma cerimônia marcada pela emoção dos familiares, alunos e professores que atuam na instituição. “Quando o então prefeito Luciano decidiu autorizar a obra da nova Escola dos Autistas, deu um passo importante na direção da construção de um ambiente escolar inovador e focado na qualidade do ensino das crianças e adolescentes no espectro autista. Um gesto de um homem público que sempre acreditou e defendeu a educação. Hoje, nós entregamos estas instalações para a comunidade escolar com a certeza de que estamos transformando a vida destas pessoas”, disse Pedro.

O prefeito comentou ainda que a sede própria da Escola inaugura também um novo momento para a educação municipal e que a realização dessa obra demonstra o quanto é importante o trabalho coletivo em prol de ações para o desenvolvimento de Passo Fundo. "Precisamos dessa mobilização de todos para fazermos avançar os projetos que vão garantir melhorias para nosso município", reiterou.

Resultado também da mobilização dos pais que compõem a Associação dos Amigos da Criança Autista (AUMA), a construção da Escola Professora Olga Caetano Dias é uma conquista para as famílias. De acordo com o presidente da entidade, Emerson Drebes, a inauguração da obra reflete um sonho de mais de 20 anos. “Nós já passamos por diversos locais alugados e esta Escola, em sede própria, significa muito para todos nós. Ela foi projetada para atender as demandas e possibilitar que cada aluno com autismo possa ter o seu potencial explorado ao máximo”, comentou Drebes, acrescentando que os trabalhos desenvolvidos na Escola são fundamentais para a inserção social desta população. “Muitos dos autistas que estão incluídos em diferentes espaços da sociedade encontraram na EMAU um espaço de interação e aprendizagem de diferentes habilidades, permitindo que eles se adaptassem aos diferentes cenários. A palavra que resume o sentimento de todos aqui é gratidão”.

O secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, destacou que a obra da Escola dos Autistas é um modelo que reforça o compromisso de Passo Fundo como uma Cidade Educadora. A diretora da EMAU, Fabiane Placedino, também disse que a entrega das novas instalações da Escola é a concretização de um sonho para todos aqueles que defendem e trabalham com a proposta de uma educação inclusiva e diversa.

Ao prefeito Pedro, Fabiane, acompanhada dos alunos Ruan Kopp Caciano e Arthur Batista da Silva, entregou um desenho feito pelos estudantes e que refletem a visão deles sobre o espaço escolar. Um dos desenhos, disse Fabiane, é endereçado ao ex-prefeito Luciano, que acolheu a demanda dos pais e familiares da AUMA. “Todos tem um papel importante na concretização desta Escola. Os desenhos feitos e entregues pelo Ruan e pelo Arthur demonstram o carinho e a gratidão com o nosso Executivo”, observou a diretora da Escola.

Mãe do Davi, de seis anos, Gabriela Coelho estava animada com as novas instalações da Escola. "Meu filho estuda na EMAU desde os três anos e o desenvolvimento dele é incrível a partir do esforço e da dedicação de todos os professores. Aqui é um espaço de transformação social e estou muito feliz", relatou.

O ato de entrega das novas instalações da EMAU Professora Olga Caetano Dias foi acompanhado também pelo vice-prefeito, João Pedro Nunes; pelo representante da Câmara de Vereadores, Wilson Lill; demais vereadores; pela promotora Clarissa Machado e pelo promotor João Paulo Bittencourt; reitora da Universidade de Passo Fundo, Bernadete Dalmolin; diretor da Faculdade Anhanguera, Robson Polita; coordenadora da 7ª Coordenadoria Regional de Educação, Carine Weber; além de lideranças e representantes de diversas entidades locais. Participaram da atividade ainda secretários do Governo Municipal, familiares e comunidade escolar de outros municípios da região.


Familiares da professora Olga Caetano Dias, que empresta o nome à Escola, participaram da cerimônia de inauguração e agradeceram o reconhecimento e a valorização da Escola como um espaço de educação e sociabilização dos alunos com TEA.

Sobre a Escola Municipal dos Autistas Professora Olga Caetano Dias

A primeira sede da Escola dos Autistas foi na rua Morom, próximo à escola Notre Dame, e atendia a 10 crianças. Com o passar do tempo e o aumento de crianças que necessitavam de atendimento especializado, a escola foi transferida para o prédio da Rádio Planalto, no Bosque Lucas Araújo. Nesta fase, em função de mudanças na legislação, a Escola passou a oferecer exclusivamente atendimento pedagógico a mais de 35 crianças e adolescentes.

Já sediada no Seminário Nossa Senhora Aparecida, passou gradualmente a aumentar o número de atendimentos e, atualmente, atende 104 crianças, adolescentes e adultos com TEA (Transtorno do Espectro Autista). Além do trabalho pedagógico e de suporte à escola regular que o aluno frequenta, a Escola trabalha as questões de estruturação e socialização, utilizando metodologias específicas voltadas ao Autismo. Também oferece, através de parcerias, oficinas de equoterapia e atividades aquáticas. O quadro de professores é composto por 18 profissionais, todos com especialização em Educação Especial Inclusiva e curso de aperfeiçoamento em TEA.

Prefeitura homenageia escolas que sediaram o XV Festival Internacional de Folclore

Pedro Almeida esteve nas quatro instituições de ensino que, em agosto, receberam os grupos artísticos e folclóricos internacionais e de outros Estados brasileiros. Na conversa com alunos e professores, chefe do Executivo entregou placas de reconhecimento às direções escolares

Entre os dias 04 a 12 de agosto, Passo Fundo tornou-se palco para diferentes manifestações artísticas e culturais durante o XV Festival Internacional de Folclore. Nesta edição, além de mudanças na estrutura do evento, o Festival também descentralizou suas atividades e promoveu, em quatro regiões diferentes da cidade, apresentações folclóricas para envolver a comunidade nas celebrações. Nesta terça-feira (04), o prefeito, Pedro Almeida, visitou cada uma das escolas que recepcionou os grupos folclóricos para conversar com alunos e professores.

Conforme Pedro, a intenção de tornar o XV Festival de Folclore um espetáculo popular e acessível, integrando a comunidade em toda a atração, foi atingida. “Ficamos muito felizes com a recepção da comunidade passo-fundense aos grupos internacionais e de outros Estados brasileiros. Passo Fundo reforçou seu caráter acolhedor e sua disposição a consolidar o Festival como um evento da cidade. Levar os espetáculos para quatro regiões diferentes do município também mostrou-se uma iniciativa acertada”, avaliou ele.

Durante a visita às instituições que receberam as atrações, o prefeito, acompanhado do secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, e de vereadores, entregou às direções escolares placas de reconhecimento pela adesão ao projeto do Festival. “Estamos trabalhando com a proposta de levar o conhecimento, a arte, a cultura e a aprendizagem para além das salas de aula. Por isso, o Festival ter sido recebido nas escolas da rede municipal de ensino é importante, pois reforça nosso compromisso de sermos uma Cidade Educadora”, destacou Pedro.

Para a diretora da EMEF Guaracy Barroso Marinho, no bairro José Alexandre Zachia, Leila Regina Gallina, ter sediado um dos espetáculos do Festival de Folclore transformou o cotidiano da escola, permitindo uma integração dos artistas com os alunos e suas famílias. “Para todos nós foi um momento importante. Tenho certeza que ficará para sempre esse registro”, destacou.

Além do bairro Zachia, o XV Festival Internacional de Folclore também foi sediado nas EMEF’s Romana Gobbi, Eloy Pinheiro Machado e Notre Dame – cada uma abrangendo um quadrante do município. O secretário de Educação observou que as escolas se mobilizaram para receber a comunidade, proporcionando a todos os visitantes uma demonstração do acolhimento da rede municipal de educação.

O futuro passa pela educação

Debate promovido pela Federasul ouviu especialistas e discutiu o Pacto pela Educação

Ciente de que o futuro do Rio Grande do Sul passa, fundamentalmente, pela educação, a reunião-almoço Tá na Mesa, da FEDERASUL, debateu nesta semana o “Pacto pela Educação”.

Os processos de inovação da Prefeitura de Passo Fundo, que buscam resolver os problemas do presente e também antecipar os desafios do futuro, foram apresentados no evento pelo secretário municipal de Educação, Adriano Canabarro Teixeira.

O Centro Pós-Covid de Combate à Desigualdade Educacional foi uma das ações destacadas pelo secretário Adriano. De maio a setembro deste ano, mais de 6 mil alunos foram atendidos pela equipe multiprofissional do Centro, que busca enfrentar as perdas ocorridas no processo de ensino-aprendizagem em função da pandemia e do distanciamento social. “Em Educação, nada acontece de um dia para o outro. Precisamos de planejamento e estratégia para fazer os movimentos necessários para uma Educação de qualidade”, afirmou o secretário.

Ao falar na abertura do evento, o presidente da FEDERASUL, Anderson Trautman Cardoso, lembrou que a educação no Estado já esteve na vanguarda nacional e que hoje apresenta um dos piores resultados. Acrescentou que o difícil cenário foi agravado pela pandemia e que as perdas na absorção de conhecimento, na saúde mental e a falta de contato com professores e colegas, “são problemas que levaremos anos para superar”.

O presidente da FEDERASUL acredita que somente a união da sociedade gaúcha em torno do Pacto será capaz de qualificar a educação e construir uma sociedade melhor. “O ensino deve estar conectado com o mundo, com a realidade, com a tecnologia”, finalizou.

Também participaram do painel a secretária de Educação do Estado, Raquel Teixeira, o presidente da Atitus Educação, Eduardo Capellari e o coordenador executivo do Pacto pela Educação, Leandro Duarte.

Assim como o presidente da FEDERASUL, a secretária de Educação do Estado, Raquel Teixeira, sabe que o futuro passa pela educação, defendeu que Pacto pela Educação tenha metas para que o Estado possa retomar sua posição de destaque. A secretária vê na falta de equidade no sistema educacional seu maior desafio.

Em sua manifestação, o presidente da Atitus Educação, Eduardo Capellari enfatizou que o Rio Grande do Sul não terá como ser competitivo se não houver um choque de qualidade na educação na próxima década. Ele entende que a educação é um dever do Estado, mas uma responsabilidade de todos. “Estamos propondo uma nova educação para termos uma nova sociedade”, declarou.

O coordenador executivo do Pacto pela Educação, Leandro Duarte, acredita que diante da urgência educacional é fundamental que a sociedade civil, as empresas e as universidades se unam ao poder público para fazer da educação uma prioridade em todo Estado. “Vivemos um momento estratégico, é a hora da transformação, precisamos evoluir. É inaceitável o diagnóstico que mostra o abandono escolar na rede pública superior a 10% somente no ensino médio”, concluiu.

Arte nos muros: projeto estimula diálogo sobre revitalização dos espaços escolares

Parceria entre a EMEF Zeferino Demétrio Costi, Associação Movimento Hip Hop e coletivo de graffiteiros Tag Ville revitalizou muro externo da instituição e envolveu a comunidade escolar no processo

Quando a última turma de alunos saiu da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Zeferino Demétrio Costi no final da tarde de sexta-feira (23), nada indicava que o espaço escolar sofreria uma transformação que, ao longo do final de semana, despertou o interesse de quem passava em frente à instituição, localizada na rua Independência. “Foi uma surpresa para praticamente todas as pessoas, porque fomos trabalhando a ideia junto da comunidade escolar, mas queríamos que fosse algo inovador e diferente, que chamasse a atenção dos nossos estudantes quando eles retornassem para cá, na segunda-feira”, disse a diretora Lucelene Segat.

A surpresa referida pela diretora foi a parceria firmada pela Escola com a Associação Movimento Hip Hop de Passo Fundo e o coletivo de graffiteiros Tag Ville de Graffiteiros, que resultou na revitalização dos muros externos da instituição com desenhos e cores mostrando a importância da arte para o ensino e a aprendizagem e inserindo o espaço como um ponto de educação para além das salas de aula. “Estamos inseridos em um contexto de Cidade Educadora e precisamos trabalhar com todo o território. Uma das maneiras de fazer isso é convidar as pessoas a refletirem sobre diferentes assuntos. O que a gente propôs aqui foi basicamente isso: como o graffiti pode ser entendido como arte e de que forma podemos fazer esse diálogo com a cidade?”, observa Lucelene.

Essa reflexão sobre o potencial educador da iniciativa é também reflexo da grande repercussão que a proposta gerou na comunidade. “Inicialmente, nossa equipe diretiva tinha pretendido algo mais simples, que era dar um pouco de cor e identidade para a nossa escola. Os muros cinzas contrastavam muito com a alegria dos nossos alunos e com os projetos que realizamos aqui. Por isso, dentro das atividades da Semana da Juventude, que é uma promoção da Coordenadoria da Juventude, decidimos fazer esta ação de graffitar os muros. Não é apenas pelo embelezamento, mas também para que os estudantes tenham orgulho de pertencerem a esta escola”, destaca a vice-diretora da EMEF, Vanilde Bordignon.

Educação no território: a proposta das Cidades Educadoras
Quando os painéis de graffiti começaram a ser feitos, a coordenação da Escola ficou curiosa. “Tanto eu quanto a professora Vanilde e as coordenadoras Adriana e Rosane, ficamos atentas para conferir o passo a passo. Queríamos que fosse um processo que gerasse um engajamento positivo com a comunidade e o que estava sendo feito tinha que ter uma justificativa”, recorda a diretora da EMEF, complementando que os pais dos alunos também foram convidados a participar e contribuíram com a iniciativa. “Nós somos uma escola com grande participação ativa dos pais, o que é bem importante. Eles sempre contribuem e agora não foi diferente”.

Para Lucelene, o resultado desta ação tem sido positivo. “Muitas pessoas pararam para conferir o trabalho dos graffiteiros e conhecer um pouco mais sobre este formato de arte, inclusive os professores. Então, aos poucos, a gente vai construindo novas perspectivas sobre a escola, a participação social, o diálogo com a comunidade e também uma educação plural e para além das salas de aulas”, avalia a diretora.

O Iugue, um dos graffiteiros que participou do projeto, disse ter ficado bastante satisfeito com a iniciativa. “Faço graffiti há muitos anos e a parceria com as escolas é sempre importante, porque trabalhamos a educação também. Eu faço oficinas sobre graffiti e Hip Hop com os alunos e é muito bom saber que tem estes espaços em Passo Fundo”, comenta.

Conforme a direção da EMEF Zeferino Demétrio Costi, a próxima etapa deste projeto é envolver os pais e a comunidade em uma ação cultural e pedagógica que estimule a interação com a música, a pintura e os movimentos artísticos diversos que existem em Passo Fundo. “Esse é um contexto muito bom para a educação e para toda a cidade”, finaliza Lucelene.

Prefeitura promove Festival de Ciência, Inovação e Tecnologia voltado ao público escolar

O 1º FECIT vai ocorrer em novembro com a proposta de reunir os projetos desenvolvidos em cada escola municipal nas áreas da ciência e tecnologia, compartilhando as experiências pedagógicas com toda a rede de ensino

Em novembro, o conhecimento científico produzido pelos alunos da Rede Municipal de Educação será exposto e compartilhado com todos os passo-fundenses durante o 1º Festival de Ciência, Inovação e Tecnologia (FECIT). A iniciativa, explica o prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, tem o objetivo de explorar o potencial inovador e criativo dos estudantes das escolas de ensino infantil e fundamental do município. “O projeto pedagógico das escolas municipais tem contemplado uma série de ações voltadas à ciência e ao uso da tecnologia como ferramenta de ensino e aprendizagem. Agora, vamos compartilhar com a comunidade o trabalho desenvolvido internamente”, afirma Pedro.

Para o chefe do Executivo, o FECIT também se insere como ação propositiva dentro do programa das Cidades Educadoras, que tem entre seus objetivos promover a educação em todo o território do município, levando para fora das salas de aula o conhecimento e a produção dos estudantes. “Fortalecer os vínculos entre as escolas municipais, os estudantes, suas famílias e toda a comunidade é uma ferramenta de levar o ensino para além dos muros escolares. O FECIT também vai cumprir esse papel, possibilitando um grande festival para a mostra do potencial da nossa rede de educação pública”, defende Pedro.

De acordo com o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, o FECIT ocorre entre os dias 22 a 25 de novembro, no Clube Juvenil. Com entrada franca, o Festival terá programações envolvendo tanto os alunos do ensino infantil quanto os do ensino fundamental. “Este Festival está sendo pensado como um fechamento de todas as atividades que as nossas escolas desenvolveram ao longo deste ano, evidenciando as iniciativas que tenham relação com a ciência, a tecnologia e a inovação”, complementa o secretário.

Teixeira reforça ainda que os painéis e a programação completa do FECIT ainda estão sendo construídos pela Secretaria de Educação. “Mas, posso antecipar que serão dedicados a socialização de projetos como o Cidadania Global, Pensamento Científico e Cultura Digital, cujos temas já integram os planos de trabalho das nossas instituições de ensino”, aponta ele, acrescentando que ainda estão previstas atividades como a promoção de um campeonato de games, contação de histórias, experiências makers, interações artísticas e shows culturais.

Prefeitura presta homenagem a professores aposentados

Em ato realizado nesta segunda-feira, o Município valorizou a trajetória de 42 professores que se aposentaram em 2021

Valorizar a trajetória de quem dedicou parte de sua vida à educação na rede municipal. Esse foi o objetivo do ato realizado nesta segunda-feira (14) pela Prefeitura de Passo Fundo, através da Secretaria Municipal de Educação. No total, 42 professores que se aposentaram no ano passado receberam uma homenagem do Município pela sua história dentro das escolas municipais.

“Vocês são um grande exemplo para os professores que estão atuando na rede municipal e merecem o reconhecimento da cidade por tudo o que realizaram. O trabalho do professor deixa muitas marcas, impactando no futuro das famílias. Passo Fundo tem o privilégio de contar com uma rede tão qualificada e professores que contribuem para a excelência da Educação”, afirmou o prefeito Pedro Almeida, durante o ato.

O secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, ressaltou a importância de reconhecer o trabalho daqueles que já fizeram muito pela Educação de Passo Fundo. “Ser professor traz um contexto em que passamos mais tempo com os filhos dos outros do que com os nossos e mais tempo na escola do que na nossa própria casa. Reconhecemos que todo o trabalho é um somatório do que cada um fez. Este é um momento para valorizar a contribuição de cada um para a vida das pessoas e para a realidade de uma cidade”, observou o secretário.

Ao falar em nome dos homenageados, a professora Elvira Parnow lembrou que a vida é cheia de ciclos. “Uma etapa foi concluída em nossas vidas. Quando alguém se dedica ao trabalho de forma integral, quer fazer o melhor para toda a comunidade. Recebemos essa homenagem com muito carinho, pois sabemos que todo mundo agrega e contribui de alguma forma para que tenhamos uma educação cada vez mais qualificada”, disse Elvira. Todos os homenageados receberam um certificado do Município pela trajetória em prol da Educação.

Prefeitura já realizou obras em cinco escolas municipais neste ano

Além disso, quatro instituições da rede estão com melhorias em execução, quatro já têm obras autorizadas e 19 estão no cronograma previsto pelo Município

Tudo no ambiente escolar influencia na educação e no processo de ensino-aprendizagem. Sobretudo na Educação Infantil, os espaços criativos e inovadores que propõem desafios possibilitam que as crianças vivenciem experiências que fomentem o desenvolvimento de habilidades. Pensando nisso, a Prefeitura de Passo Fundo tem realizado importantes obras de reforma das instituições municipais.

O prefeito, Pedro Almeida, lembra que, em 2021, mais de 300 intervenções, entre as de pequeno, médio e grande porte, foram executadas e destaca que, neste início de ano, cinco escolas já tiveram obras entregues, quatro estão recebendo intervenções e outras quatro têm projetos autorizados para a execução. "São melhorias em infraestrutura que atendem às necessidades individuais de cada instituição e elevam a qualidade da rede municipal. Elas são somadas aos investimentos em tecnologia e segurança recentemente feitos pelo Município, garantindo que as escolas tenham espaços adequados, acessíveis, seguros e que estimulem o conhecimento e novas habilidades", afirma.

Conforme o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, todas as obras realizadas nas instituições atendem às demandas elencadas pela comunidade escolar. “Fizemos uma consulta aos diretores ainda em 2021, solicitando as demandas de infraestrutura de baixa, média e alta prioridade. Começamos a solucioná-las pelas de alta prioridade", pontua, enfatizando que outras 19 escolas, de Educação Infantil e Ensino Fundamental, estão com obras previstas para acontecer.

Outra conquista da rede municipal de educação é a equipe de manutenção dedicada às escolas municipais que, só em fevereiro de 2022, realizou mais de 70 intervenções de pequeno e médio portes em nossas escolas. O secretário de Educação destaca que, a partir de 2023, “teremos condições de trabalhar em uma dinâmica preventiva de manutenção de nossas escolas”.

Obras realizadas

EMEI Abelhinhas
A escola passou para o espaço onde era a EMEF Nossa Senhora Aparecida e recebeu adaptações e reforma para atender às necessidades das crianças de educação infantil.

EMEI Santa Isabel
A escola era administrada pela Obra Social São Vicente de Paulo. Em 2021, o Município de Passo Fundo celebrou um termo de cooperação com esta instituição, passando a assumir administrativamente a escola. Desta forma, o local foi todo remodelado para receber as crianças neste ano.

EMEI Vovó Nelly
Mudou de local e passou a funcionar em uma estrutura própria do Município. O novo local é mais amplo e com estrutura mais qualificada para receber as crianças. A mudança também possibilitou o aumento do número de crianças atendidas.

EMEI Cantinho da Ritinha
A escola foi toda reformada. Entre as intervenções, foram realizadas a troca total do telhado, a pintura interna e externa do prédio, a cobertura nos solários, a troca de portas e a colocação de gesso no hall de entrada.

EMEI Menino Deus/Professor Bandana
A escola foi toda reformada. Teve troca total do telhado, pintura interna e externa, cobertura nos solários, troca de portas, remodelação para um melhor aproveitamento dos espaços comuns e colocação de gesso no hall de entrada.

Obras em execução

EMEI Estrela da Manhã
Está recebendo a substituição do telhado do prédio, que era de telhas de barro e será de aluzinco, pintura interna e troca do piso e de parte da rede de esgoto. As intervenções estão em fase de conclusão.

EMEF São Luiz Gonzaga
A obra conta com reforma do prédio antigo térreo, troca do piso, aberturas, banheiros e pintura.

EMEF Notre Dame
Está fase de conclusão a reforma do ginásio e de parte do muro, a construção de rampa de acessibilidade para o ginásio e pátio dos fundos.

EMEF Prof Helena Salton
Está sendo concluído o fechamento do pavimento térreo, a reforma do telhado, do forro, dos beirais e do piso.

Obras já autorizadas

EMEF Jardim América
passará por obra de reconstrução do muro da parte dos fundos e reforma da sala de professores, sala de recurso e dispensa.

EMEI Prof José Laudário Hauphental-
Receberá reforma no forro, piso e parte das salas de aula.

EMEF Padre José de Anchieta
Terá o fechamento do pátio com muros pré-moldados e portões metálicos.

EMEF Eloy Pinheiro Machado
No local, serão construídas mais duas salas de aula.

Projetos da Educação em Passo Fundo servem de exemplo para outros municípios do Estado

Os projetos inovadores desenvolvidos pela Prefeitura de Passo Fundo na área de Educação têm despertado o interesse de outros municípios


Os projetos inovadores desenvolvidos pela Prefeitura de Passo Fundo na área de Educação têm despertado o interesse de outros municípios, que pretendem reproduzir as experiências positivas nas suas redes públicas. Nesta semana, uma equipe da Prefeitura de Porto Alegre esteve reunida, de forma on-line, com o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, para conhecer detalhes de ações ligadas à tecnologia e à inovação, e também os projetos com foco no período pós-pandemia.
Uma das iniciativas que chamou a atenção dos gestores da Capital foi o Centro Pós-Covid, que será inaugurado pela Prefeitura de Passo Fundo nas próximas semanas. O espaço especializado contará com equipe multidisciplinar dedicada ao tratamento de questões psicopedagógicas decorrentes do processo de isolamento social, que tenham efeito direto sobre a aprendizagem dos estudantes.
O secretário Adriano destacou o esforço do Município para a redução dos impactos causados pela pandemia na aprendizagem dos alunos. Ele explicou o funcionamento da avaliação diagnóstica, uma ferramenta digital construída pela Secretaria para identificar as habilidades e competências que não foram desenvolvidas entre os alunos e, a partir disso, criar um plano de ação pedagógica específico para cada escola. 
Uma das ações que ajudará nesse processo de retomada é o projeto dos professores YouTubers. Quatro professores da rede municipal nas áreas de Linguagens, Matemática, Ciências e Ciências Humanas deverão gerar conteúdo para tratar essas habilidades não desenvolvidas durante a pandemia. Adriano explica que, como os alunos estão dispersos nas escolas da rede, a opção por professores que trabalham no ambiente digital possibilita maior agilidade e cria possibilidades reais de aceleração daqueles elementos que não foram devidamente desenvolvidos no período de pandemia. 
O secretário Adriano também destacou os investimentos feitos pelo Município em tecnologia, com a compra de câmeras de videomonitoramento, notebooks, tablets, computadores e TVs 50 polegadas para as escolas da rede municipal. Esse esforço, conforme o secretário, vai ao encontro do tripé pensado pela gestão do prefeito Pedro Almeida para a educação: ciência, tecnologia e inovação. Inclui, ainda, projetos como os Learning Spaces, espaços de aprendizagem que substituem os antigos laboratórios de informática com estruturas físicas diferenciadas. 
Jonas Machado, Coordenador de Planejamento Estratégico na Prefeitura de Porto Alegre, lembrou que as duas cidades fazem parte da rede brasileira de Cidades Educadoras, o que aproxima ainda mais as gestões. “É muito bom poder trocar experiências sobre Educação, ainda mais quando o trabalho é feito por pessoas apaixonadas pelo tema. A Prefeitura de Passo Fundo está de parabéns pelas iniciativas inovadoras e Porto Alegre fica à disposição para discutir não apenas educação, mas qualquer assunto de interesse da comunidade”, afirmou.

Foto: Michel Sanderi

Projetos pedagógicos da rede municipal preparam os alunos para o futuro

Entre os projetos trabalhados com os alunos, está o da Cultura Digital, que levará a todos a programação de computadores


Os projetos pedagógicos criam oportunidades de promoção de uma educação voltada ao futuro, transversal aos conteúdos curriculares e com potencial para transformar o olhar dos alunos. Visando qualificar ainda mais a Rede Municipal de Ensino, a Prefeitura traz para o ano letivo de 2022 a inserção de projetos pedagógicos que criam aos estudantes condições para que ampliem as suas possibilidades de ação no mundo.

O prefeito, Pedro Almeida, pontua que o Município vem aplicando investimentos que permitem que as escolas sejam laboratórios e locais de experimentação. “Ao encontro da concepção de educação que o governo municipal desenvolveu a partir dos parâmetros globais, a Prefeitura tem proporcionado a execução de iniciativas com recursos. Nesta semana, entregamos o maior investimento em tecnologia, que contempla novos equipamentos para alunos e professores: são 1400 notebooks, 760 tablets e 500 televisões, que chegarão a todas as escolas nos próximos dias. Além disso, fizemos a reforma da rede lógica e do sistema de informação das instituições. Qualificando a educação, queremos que as crianças sejam parte das soluções do mundo”, menciona.

Conforme explica o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, a seleção dos projetos observa as grandes demandas e tendências globais da educação. “Os projetos trazem para a grade curricular oportunidades para o desenvolvimento de habilidades que vão além das convencionais, como Matemática, Português e Ciências Naturais. Eles antecipam questões fundamentais dentro de um contexto de formação dos cidadãos no século XXI e são trabalhados de forma interdisciplinar, estruturada e integrada com os alunos”, afirma.



Projetos e níveis de ensino

O projeto pedagógico que pautará todo o Ensino Fundamental é o da Cultura Digital, que envolve um conjunto de práticas, costumes e formas de interação social a partir da tecnologia. “Cem porcento dos alunos vão trabalhar com questões relacionadas à tecnologia, com pensamento crítico, responsabilidades, segurança e programação de computadores. Esse é um dado importante: estamos entre os 10 primeiros municípios do Brasil que desenvolvem a Cultura Digital para todos os seus alunos, culminando na programação de computadores, uma habilidade essencial para os profissionais de qualquer área no século XXI”, considera o secretário.

Além disso, segundo ele, outros projetos foram pensados por nível de ensino: os anos iniciais do Ensino Fundamental também trabalharão a Cidadania Global. “A Cidadania Global propõe reflexões de que todos nós fazemos parte de um mundo muito maior do que aquele que está ao nosso redor e que isso, antes de ser uma ameaça, é uma oportunidade. Os alunos poderão conhecer outras culturas e identificar como elas podem qualificar a nossa própria cultura, em um processo avaliação da constituição cultural de povos baseado em empatia, respeito e tolerância. Na nossa rede, temos quase 200 alunos imigrantes, e isso evidencia aos estudantes que todos nós somos cidadãos do mundo”, destaca.

Já os estudantes dos anos finais terão atividades dentro do projeto de Pensamento Científico. “Aqui, eles poderão verificar problemas que existem, por exemplo, na comunidade e propor soluções. Ainda, desenvolver protótipos para tirar as soluções do mundo das ideias e colocar em prática para entregar à sociedade. Essa é uma iniciativa que extrapola os muros da escola, conectando os alunos com o mundo”, aponta.

Mais um projeto que será levado aos alunos do primeiro ao quinto ano é o da Leitura. Seu objetivo, além de fomentar a leitura, buscará acelerar a alfabetização. Para isso, o Município assinou a plataforma Arte dos Livros, com 30 mil títulos que podem qualificar as oportunidades de leitura para as crianças e jovens de nossas escolas.

É possível apontar que estes projetos pedagógicos criam um contexto educacional em Passo Fundo que, além de potencializar a utilização de toda a infraestrutura disponibilizada e considerar o processo intenso de formação de professores em movimento desde 2021, antecipa e concretiza aquelas características e demandas que, até então, eram vistas como exclusivas de um futuro distante.