Arte nos muros: projeto estimula diálogo sobre revitalização dos espaços escolares

Parceria entre a EMEF Zeferino Demétrio Costi, Associação Movimento Hip Hop e coletivo de graffiteiros Tag Ville revitalizou muro externo da instituição e envolveu a comunidade escolar no processo

Quando a última turma de alunos saiu da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Zeferino Demétrio Costi no final da tarde de sexta-feira (23), nada indicava que o espaço escolar sofreria uma transformação que, ao longo do final de semana, despertou o interesse de quem passava em frente à instituição, localizada na rua Independência. “Foi uma surpresa para praticamente todas as pessoas, porque fomos trabalhando a ideia junto da comunidade escolar, mas queríamos que fosse algo inovador e diferente, que chamasse a atenção dos nossos estudantes quando eles retornassem para cá, na segunda-feira”, disse a diretora Lucelene Segat.

A surpresa referida pela diretora foi a parceria firmada pela Escola com a Associação Movimento Hip Hop de Passo Fundo e o coletivo de graffiteiros Tag Ville de Graffiteiros, que resultou na revitalização dos muros externos da instituição com desenhos e cores mostrando a importância da arte para o ensino e a aprendizagem e inserindo o espaço como um ponto de educação para além das salas de aula. “Estamos inseridos em um contexto de Cidade Educadora e precisamos trabalhar com todo o território. Uma das maneiras de fazer isso é convidar as pessoas a refletirem sobre diferentes assuntos. O que a gente propôs aqui foi basicamente isso: como o graffiti pode ser entendido como arte e de que forma podemos fazer esse diálogo com a cidade?”, observa Lucelene.

Essa reflexão sobre o potencial educador da iniciativa é também reflexo da grande repercussão que a proposta gerou na comunidade. “Inicialmente, nossa equipe diretiva tinha pretendido algo mais simples, que era dar um pouco de cor e identidade para a nossa escola. Os muros cinzas contrastavam muito com a alegria dos nossos alunos e com os projetos que realizamos aqui. Por isso, dentro das atividades da Semana da Juventude, que é uma promoção da Coordenadoria da Juventude, decidimos fazer esta ação de graffitar os muros. Não é apenas pelo embelezamento, mas também para que os estudantes tenham orgulho de pertencerem a esta escola”, destaca a vice-diretora da EMEF, Vanilde Bordignon.

Educação no território: a proposta das Cidades Educadoras
Quando os painéis de graffiti começaram a ser feitos, a coordenação da Escola ficou curiosa. “Tanto eu quanto a professora Vanilde e as coordenadoras Adriana e Rosane, ficamos atentas para conferir o passo a passo. Queríamos que fosse um processo que gerasse um engajamento positivo com a comunidade e o que estava sendo feito tinha que ter uma justificativa”, recorda a diretora da EMEF, complementando que os pais dos alunos também foram convidados a participar e contribuíram com a iniciativa. “Nós somos uma escola com grande participação ativa dos pais, o que é bem importante. Eles sempre contribuem e agora não foi diferente”.

Para Lucelene, o resultado desta ação tem sido positivo. “Muitas pessoas pararam para conferir o trabalho dos graffiteiros e conhecer um pouco mais sobre este formato de arte, inclusive os professores. Então, aos poucos, a gente vai construindo novas perspectivas sobre a escola, a participação social, o diálogo com a comunidade e também uma educação plural e para além das salas de aulas”, avalia a diretora.

O Iugue, um dos graffiteiros que participou do projeto, disse ter ficado bastante satisfeito com a iniciativa. “Faço graffiti há muitos anos e a parceria com as escolas é sempre importante, porque trabalhamos a educação também. Eu faço oficinas sobre graffiti e Hip Hop com os alunos e é muito bom saber que tem estes espaços em Passo Fundo”, comenta.

Conforme a direção da EMEF Zeferino Demétrio Costi, a próxima etapa deste projeto é envolver os pais e a comunidade em uma ação cultural e pedagógica que estimule a interação com a música, a pintura e os movimentos artísticos diversos que existem em Passo Fundo. “Esse é um contexto muito bom para a educação e para toda a cidade”, finaliza Lucelene.

Reformas nas escolas municipais qualificam espaços para alunos e professores

Entre as melhorias feitas pela Prefeitura estão a troca do telhado da EMEI Cantinho da Ritinha e a mudança de local da EMEI Vovó Nelly. Além destas, Administração já realizou obras em mais de 20 instituições de ensino e entregou duas novas escolas para a comunidade

Revitalizar os espaços educacionais garante não apenas a melhora dos ambientes físicos, mas também eleva a autoestima de alunos e professores. Por isso, entre as ações educacionais adotadas pela Prefeitura de Passo Fundo, as obras de reformas e manutenções nas instituições municipais de ensino são constantes. Nesta quinta-feira (09), o prefeito, Pedro Almeida, acompanhado do secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, visitou três delas.

Na EMEI Cantinho da Ritinha, no Loteamento Santa Rita, foram feitas obras de pintura interna e externa, além da troca do telhado do prédio. Para a diretora, Mônica Burin, as melhorias são bastante significativas, porque garantem mais segurança e conforto para toda a comunidade escolar. “A reforma contribuiu muito para o nosso trabalho e bem estar dos alunos. Os ambientes ficaram mais aconchegantes e protegidos do frio”, observou. 

Para o prefeito Pedro, essas iniciativas reforçam o compromisso da Administração com a efetivação de estruturas escolares capazes de contribuir com a melhora da educação municipal. “São reformas que foram solicitadas pelas direções escolares por representarem necessidades de cada instituição. Algumas obras contemplam questões estruturais, enquanto outras refletem na organização e nos aspectos visuais”, destacou Pedro.

Na Escola Abelhinhas, que foi transferida para o local onde antes estava a EMEF Nossa Senhora Aparecida, a Prefeitura fez a substituição das instalações elétricas, o fechamento do pátio, melhorias internas nas salas de aula e também toda a pintura. A diretora Vanessa Carvalho, agradeceu o trabalho. “Estamos muito felizes com a atenção dada pela gestão. As melhorias foram adequadas à faixa etária dos nossos alunos e agora temos uma estrutura mais ampla e muito mais segura, com salas amplas, banheiros para os professores, refeitório e sala para a secretaria”, destacou.

O secretário de Educação comentou que a pasta estruturou frentes de trabalho para atender as demandas das mais de 70 escolas municipais. “Essa forma de trabalhar nos deu mais agilidade para resolver algumas necessidades das direções escolares, como reparos elétricos e hidráulicos, pinturas e outras questões de rotina”, explicou Adriano.

Outra escola municipal visitada pelo prefeito foi a EMEI Vovó Nelly, no bairro Lucas Araújo. A instituição está em um novo espaço desde que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) transferiu sua sede para outro endereço. Neste local, foram feitas mudanças internas e externas com adaptações estruturais para receber os alunos. “A escola agora tem acessibilidade, uma estrutura mais ampla e qualificada, com ambientes iluminados”, relatou a diretora Giovana Aparecida Garcia de Assis. A escola, por estar localizada próxima ao Parque da Gare, consegue proporcionar uma grande interação dos alunos com esse espaço público da cidade.

Além destas escolas visitadas pelo prefeito, a Administração já fez obras de melhorias em mais de 20 instituições de ensino. Ainda, durante a Semana da Educação, promovida em março, a Prefeitura entregou as EMEI’s Criança Feliz, no bairro Manoel Portela; e Santa Isabel, no bairro Lucas Araújo, aumentando o número de vagas na Educação Infantil. Junto com estas entregas, o prefeito também confirmou a ampliação da rede de ensino anunciando a construção de cinco novas escolas, sendo quatro EMEI’s nas comunidades César Santos, Cidade Nova, Valinhos e Maggi de Césaro, e uma de Ensino Fundamental, na Petrópolis.

Inovação tecnológica

Além de visitar as melhorias estruturais, o prefeito também conferiu a distribuição dos equipamentos tecnológicos entregues recentemente pela Administração. No total, o Município investiu R$ 12 milhões em tablets, computadores desktop, notebooks e aparelhos de TV de 50 polegadas.

Fotos: Michel Sanderi