Passo Fundo fará vacinação neste sábado (10)

Nos Cais Petrópolis, Boqueirão, Hípica, São Cristóvão e Vila Luíza, serão disponibilizadas todas as vacinas do calendário nacional, incluindo a da Covid-19. Mobilização irá das 8h às 13h

Para estimular a vacinação, Passo Fundo fará mais uma mobilização no sábado, 10 de dezembro, em cinco pontos. Os Centros de Atendimento Integral à Saúde (CAIS) Petrópolis, Boqueirão, São Cristóvão, Hípica e Vila Luíza  disponibilizarão todas as vacinas do calendário vacinal, incluindo a da Covid-19. Aplicações serão realizadas das 8h às 13h.

O objetivo, conforme a coordenadora de Vigilância em Saúde, Marisa Zanatta, é ampliar a cobertura contra diversas doenças. “Nós estamos chamando a população para que busque um destes locais e faça a checagem da carteirinha de vacinação, atualizando as doses que estão em atraso”, enfatizou.

Os adolescentes têm um chamado especial para que compareçam e recebam as vacinas contra o HPV e a Meningo ACWY. Recentemente, o Ministério da Saúde alterou a faixa etária para essas duas vacinas: a vacina HPV passou a ter como público-alvo meninos e meninas de 9 a 14 anos; Já a da Meningo ACWY, todos os adolescentes de 11 a 14 anos.

Ainda de acordo com Marisa, é fundamental que a carteirinha das crianças e adolescentes esteja em dia para que eles obtenham das unidades de saúde um atestado de vacinação, que passará a ser exigido no momento de matrícula ou rematrícula nas escolas municipais, estaduais e particulares. “As crianças e adolescentes que ainda não têm o atestado de vacinação podem aproveitar a oportunidade e ir até um dos pontos neste sábado. Se tiverem uma vacina para fazer, já podem atualizar a carteirinha e receber o documento”, afirmou.

Durante a data, a vacina contra a Covid-19 será feita apenas na população acima de 12 anos, uma vez que as doses pediátricas são aplicadas exclusivamente na Central de Vacinas.

Prêmio Band Cidades Excelentes: Passo Fundo fica entre os melhores municípios gaúchos na categoria Saúde

Para avaliação e julgamento, foi utilizado o Índice de Gestão Municipal Aquila (IGMA), que usa conceitos de big data e reúne informações públicas atualizadas de todos os municípios do país, através dos portais de transparência das Prefeituras

 
A Prefeitura de Passo Fundo ficou entre as finalistas da etapa estadual do Prêmio Band Cidades Excelentes 2022, na categoria Saúde e Bem Estar. A premiação, realizada pelo Grupo Bandeirantes de Comunicação, em parceria com o Instituto Aquila, reconheceu as melhores gestões públicas do país, em cerimônia realizada nesta segunda-feira (7).
 
Para avaliação e julgamento, foi utilizado o Índice de Gestão Municipal Aquila (IGMA), que usa conceitos de big data e reúne informações públicas atualizadas de todos os municípios do país, através dos portais de transparência das Prefeituras.
 
Foram avaliados 62 indicadores dentro de seis pilares: Educação; Saúde e Bem Estar; Governança, Eficiência Fiscal e Transparência; Desenvolvimento Socioeconômico; Infraestrutura e Mobilidade Urbana e Sustentabilidade. Dentro dessas categorias, os municípios foram divididos em três classificações: até 30 mil habitantes, 30 a 100 mil habitantes e mais de 100 mil habitantes.  
 
Passo Fundo concorreu na categoria com Erechim e Santa Cruz do Sul, que saiu vencedora e concorrerá à fase nacional.

Prefeitura é destaque em prêmio do Programa Primeira Infância Melhor

Alice Pereira da Silva, que atua na rede municipal, produziu o relato vencedor e foi escolhida a melhor visitadora do PIM no Estado

A Prefeitura de Passo Fundo foi premiada, nesta segunda-feira (7), na 12a edição do Prêmio Salvador Celia, que reconhece ações de cuidado com as crianças, através do Programa Primeira Infância Melhor (PIM). O evento, promovido pelo Governo do Estado, contou com a presença da secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, do prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, autoridades ligadas à saúde e equipes que atuam no Programa Primeira Infância Melhor.

A premiação foi conquistada por Alice Pereira da Silva, que atua na equipe das Secretarias Municipais de Saúde e de Assistência Social e produziu o mais bem pontuado relato de experiência referente às ações presenciais no território em benefício da primeira infância. Ela também foi escolhida a melhor visitadora do PIM no Estado.

“O prêmio valoriza um trabalho sério, comprometido, que vem ao encontro do que queremos para a saúde pública. Um importante reconhecimento aos trabalhadores que fazem a diferença no dia a dia de muitas famílias e promovem a verdadeira transformação social”, observou o prefeito Pedro.

O secretário adjunto de Saúde, Luís Schneider, lembrou que o trabalho dos programas de atenção à primeira infância envolvem também as secretarias de Cidadania e Assistência Social e Educação. “O prêmio demonstra o comprometimento da gestão pública e dos colaboradores das secretarias de Saúde, de Cidadania e Assistência Social e de Educação, que trabalham no Programa Primeira Infância Melhor. Neste ano, conseguimos ultrapassar a meta de visitas, chegando a mais de 130”, observou.

Os projetos Primeira Infância Melhor e Criança Feliz compõem juntos uma estratégia de política pública que tem como finalidade realizar visitas domiciliares para gestantes e crianças de até 6 anos de idade que estão em situação de vulnerabilidade social, sendo financiados pelos Governos Estadual e Federal, respectivamente. Os projetos buscam, por meio de atividades lúdicas, brincadeiras e diálogos, gerar o desenvolvimento integral das crianças, fortalecimento dos vínculos familiares e o atendimento em rede de forma conjunta entre as Secretarias da Saúde, da Educação e de Assistência Social.

Alice Pereira da Silva é estudante de Psicologia da Universidade de Passo Fundo e contratada como estagiária dos programas citados. “Receber o Prêmio Salvador Celia é o resultado de um trabalho que traz sentido para os meus dias, que é trabalhar em prol de uma sociedade mais inclusiva e igualitária. Além de garantir o desenvolvimento do aprendizado das crianças, promove junto às famílias um espaço de visibilidade, cuidado e afeto”, afirmou Alice.

Prefeitura apoiará 9ª edição do Acampamento da Criança com Diabetes

Evento ocorre entre os dias 10 e 13 de novembro, na Universidade de Passo Fundo. Iniciativa conta com organização dos cursos de Medicina e Enfermagem da UPF, HSVP e clubes de Lions



Um espaço para aprendizagem, convivência, formação de vínculos e troca de experiências sobre o manejo e o cuidado com o diabetes na infância e adolescência. A 9ª edição do Acampamento da Criança com Diabetes, que neste ano ocorre entre os dias 11 e 13 de novembro, no campus da Universidade de Passo Fundo (UPF), vai contar com o apoio logístico da Prefeitura de Passo Fundo. A confirmação da parceria entre o Município e as entidades e instituições organizadoras do evento foi dada pelo prefeito, Pedro Almeida, durante reunião nesta terça-feira (01).

De acordo com Pedro, a Administração Municipal está trabalhando em diferentes frentes para garantir a realização de projetos e programas que priorizem e beneficiem a saúde e a educação das crianças e adolescentes. “Nossos programas educacionais estão servindo de exemplo para outros municípios. Estruturamos o Centro Pós-Covid de Combate à Desigualdade Educacional e interligamos ações de saúde e educação, assegurando mais qualidade de vida para nossos alunos da rede municipal de ensino. Também estamos ampliando o número de médicos pediatras e, em breve, vamos entregar para a comunidade o Hospital Dia da Criança, que vai qualificar muito o atendimento oferecido”, comentou o prefeito, reforçando o compromisso com ações promovidas pela sociedade que tenham este público como prioridade. “O Acampamento da Criança com Diabetes já é uma tradição em Passo Fundo”.

Ainda conforme o chefe do Executivo, a Prefeitura, nesta edição, dará apoio logístico para os participantes do Acampamento. Com oficinas e atividades sendo realizadas em diferentes espaços do campus I da UPF, as crianças e suas famílias terão acesso facilitado aos prédios por meio da adesão do Município ao Acampamento. “Vamos seguir dialogando com a organização do evento para construirmos, em 2023, uma grande edição comemorativa do projeto, que é tão importante às crianças com diabetes”, afirmou Pedro.

A médica Mirian Tombini, que é uma das incentivadoras e idealizadoras desde a primeira edição do Acampamento, destaca a importância do evento para a socialização das crianças com diabetes. “Muitas vezes, elas não encontram espaço para descobrir como lidar a doença na escola ou até mesmo em casa. O Acampamento é uma maneira de tornar o processo de educação sobre o problema, algo mais divertido e lúdico”, explicou.

Durante os dias do Acampamento, as crianças e suas famílias são acompanhadas e assessoradas por estudantes bolsistas e extensionistas da UPF, sob a coordenação dos professores dos cursos de Medicina e Enfermagem da instituição, Tiago Fritz e Fernanda Ceolin Teló, respectivamente. Para Fernanda, a atividade é um momento importante de reforçar às crianças e familiares que é possível ter qualidade de vida e conviver de forma saudável com a doença. “Nesta edição, devemos receber cerca de 44 crianças e seus pais e responsáveis. Em função da pandemia, estamos nos reorganizando, mas o objetivo do Acampamento é sempre estimular um debate e uma atenção especial às crianças com diabetes”, observou.

O secretário Adjunto de Saúde, Luís Schneider, aproveitou o encontro para reforçar as ações em saúde que estão sendo realizadas pelo Município e salientar que é possível ampliar as atividades de promoção e prevenção ao diabetes, principalmente na infância e adolescência.

Multivacinação: Prefeitura fará verificação de carteirinhas em escolas da rede particular

Iniciativa busca sensibilizar os pais e aumentar a cobertura vacinal no Município

Após levar a vacinação contra a poliomielite para as escolas municipais de Educação Infantil, a Prefeitura de Passo Fundo fará, a partir desta semana, a verificação das carteirinhas em escolas de Educação Infantil da rede particular. A intenção é sensibilizar os pais em relação à campanha de vacinação e aumentar a cobertura vacinal, que hoje está abaixo do ideal no município.

A coordenadora de Vigilância em Saúde, Marisa Zanatta, observa que a meta é vacinar mais de 95% das crianças de um ano a quatro meses, 11 meses e 29 dias. Praticamente todas as crianças de um até cinco anos estão nas escolas e, conforme Marisa, a ação foi pensada para contribuir com o aumento da cobertura. “Se a carteirinha não estiver em dia, orientaremos a buscarem uma unidade de saúde para que as crianças recebam vacinas em atraso. A criança que estiver com todas as vacinas em dia receberá um atestado de vacinação que identifica que está em conformidade com o Calendário Nacional de Vacinação preconizado pelo Ministério da Saúde”, explicou Marisa.

Zé Gotinha

O personagem Zé Gotinha ajudou a Secretaria Municipal de Saúde em algumas ações nas escolas para chamar atenção das crianças sobre a importância da vacinação e acompanhar a aplicação da gotinha. Nas escolas municipais, o resultado foi considerado positivo, com um total de 2.408 carteiras avaliadas, 640 doses de vacina contra a poliomielite aplicadas e 1.138 crianças identificadas com atraso vacinal.

Agentes comunitários de saúde realizam um trabalho fundamental para a atenção básica

Eles estão inseridos nas comunidades para fazer a ponte das pessoas com os serviços de saúde oferecidos pela Prefeitura


Os agentes comunitários de saúde desenvolvem um trabalho imprescindível na promoção da atenção básica. São eles que percorrem os bairros e mantêm uma ligação com os moradores a fim de incentivar os cuidados com a saúde e o acesso aos serviços disponibilizados pela Prefeitura.

Alex Mello é agente comunitário de saúde há 19 anos. Ele atende uma das regiões da Estratégia de Saúde da Família no Bairro Primeiro Centenário, acompanhando mais de 190 residências e 750 pessoas. “Para mim, é gratificante. Mais do que agentes de saúde, nos tornamos amigos das pessoas. Nós orientamos, estamos próximos e sabemos de tudo o que eles precisam para a saúde, como vacinas, consultas, exames, receitas e materiais para curativos”, afirma.

Na manhã desta sexta-feira (23), uma das pessoas que ele visitou foi a dona Olga, de 70 anos. Ela sofre com varizes e as dores constantes e, além disso, cuida do marido, que tem alzheimer e é acamado. Ambos vieram de Alegrete há dois anos e escolheram morar em Passo Fundo devido aos serviços de saúde. “Não tinha isso na minha cidade. Eu tinha que caminhar. Aqui é bom porque não tenho como sair de casa. Se eu precisar, tenho que chamar alguém para cuidar dele. E, com o agente de saúde, eu consigo atualizar as receitas de medicamentos e marcar exames com mais facilidade”, disse.

Ao receber a visita de Alex, ela aproveitou para listar alguns exames que necessita realizar. “Para as varizes, conversei com o médico e a cirurgia não é muito indicada para o meu caso. Eu estou tomando remédios que o doutor receitou há um mês e já noto muita diferença, principalmente, para caminhar. Agora eu preciso fazer a mamografia e o preventivo, que ele falou para eu agendar no fim de setembro”, mencionou.

As visitas dos agentes de saúde acontecem uma vez por mês em cada residência. Algumas pessoas são acompanhadas com uma frequência maior, pois precisam de atenção redobrada. “É muito importante mantermos essa proximidade e conseguirmos solucionar aquilo que as pessoas precisam. Sempre digo que vou além da minha obrigação, buscando facilitar para elas, entendendo as suas dificuldades”, contou Alex.


Capacitação

A coordenadora dos agentes comunitários, Vanessa Ilha, destaca o papel dos agentes comunitários para a saúde pública. “Esses profissionais fazem a ligação da atenção básica com os usuários. Ao realizarem visitas nas casas, que têm como objetivo a promoção da saúde, auxiliam a Secretaria Municipal de Saúde a atender os indicadores necessários para atingir metas do município e, sobretudo, fazem a diferença na vida das comunidades. Os agentes informam e convencem as pessoas, como gestantes, hipertensas e diabéticas, a acessarem serviços. Eles foram estratégicos, por exemplo, na vacinação contra a Covid-19, verificando a situação vacinal e chamando as pessoas para irem se vacinar”, salienta.

E, devido ao trabalho dos agentes ser fundamental, a Prefeitura promove a capacitação dos profissionais com o auxílio dos cursos da Atitus. Os mais de 70 agentes estão recebendo cursos para que otimizem os serviços prestados à população e contribuam ainda mais com a qualificação de indicadores locais.

Vanessa explica como ocorre esse processo. “No ano passado, os profissionais receberam alunos da Atitus para explicar como acontecem as visitas domiciliares. Em contrapartida, a Atitus está capacitando os agentes no sentido de instrumentalizar com mais conhecimento. O primeiro encontro foi com os estudantes da Medicina para entender mais sobre os indicadores de saúde. Num segundo momento, tivemos uma capacitação com o Direito, falando sobre a comunicação, relações e o Direito de Família. Outros acontecerão junto com os cursos de Psicologia, Odontologia e Medicina Veterinária, dentro do que consideramos pertinente em detrimento do trabalho que os profissionais realizam”, pontua.

A valorização dos agentes também impacta na qualidade do serviço. Os atendimentos efetuados por eles, por exemplo, vêm sendo expandidos de maneira significativa. Em janeiro de 2021, foram feitas 2 mil visitas. Em janeiro deste ano, o número dobrou e ultrapassou 4 mil. Já no mês de julho, um recorde de atendimentos foi conquistado e os agentes fizeram 7,5 mil visitas.

Para Vanessa, é necessário que, ao mesmo tempo em que os profissionais tenham um olhar sensível do Município, sejam reconhecidos pelas comunidades. “Cabe dizer às pessoas que as visitas dos agentes são de ajuda e de promoção da saúde. Por isso, é muito importante que elas os recebam em suas casas e tenham um diálogo”, considerou.

Foto: Michel Sanderi

Prefeitura leva a vacinação contra a poliomielite para as escolas

A Prefeitura está levando a vacinação contra a poliomielite para as escolas municipais de Educação Infantil. O objetivo é mobilizar os pais e aumentar a cobertura vacinal contra a doença, que hoje […]

A Prefeitura está levando a vacinação contra a poliomielite para as escolas municipais de Educação Infantil. O objetivo é mobilizar os pais e aumentar a cobertura vacinal contra a doença, que hoje está abaixo do ideal no município.

A coordenadora de Vigilância em Saúde, Marisa Zanatta, explica a mobilização que está sendo realizada para que mais crianças sejam vacinadas, uma vez que a cobertura atual é de somente 37%. “Nossa meta é vacinar mais de 95% das crianças de um ano a quatro anos, 11 meses e 29 dias. O Ministério da Saúde prorrogou a campanha nacional até o dia 30 de setembro, e estamos empenhados a conscientizar os pais ou responsáveis. Praticamente todas as crianças de um até cinco anos estão nas escolas e, por isso, pensamos que essa ação pode contribuir bastante com o aumento da cobertura”, justifica.

A partir de uma ação das secretarias municipais de Saúde e Educação, as escolas foram informadas sobre a iniciativa e definiram junto com as unidades de saúde uma data para a aplicação da gotinha. Os pais ou responsáveis estão sendo comunicados para que compareçam às instituições com a carteirinha de vacinação das crianças. “Faremos a aplicação da gotinha nas que estiverem acompanhadas dos pais ou responsáveis. Além disso, se a carteirinha não estiver em dia, orientaremos a buscarem uma unidade de saúde para que as crianças recebam vacinas em atraso. A criança que estiver com todas as vacinas em dia receberá um atestado de vacinação que identifica que está em conformidade com o Calendário Nacional de Vacinação preconizado pelo Ministério da Saúde”, destaca Marisa.

Conforme a coordenadora de Vigilância em Saúde, outro fator importante e que os pais ou responsáveis devem considerar é que, a partir de 2023, as escolas solicitarão um atestado de vacinação das crianças, fornecido pelas unidades de saúde, para a matrícula e rematrícula. “Hoje, é exigida somente a cópia da carteirinha de vacinação, mas a mudança visa justamente mantermos bons índices vacinais das crianças, o que previne doenças e evita que voltemos a notificar doenças já controladas”, considera.

A ação deverá ser expandida para mais escolas, uma vez que, paralelamente à campanha contra a poliomielite, é realizada a de multivacinação, que tem como foco a atualização da carteirinha de crianças e adolescentes com até 15 anos. “Iniciamos com as escolas de Educação Infantil do Município. Depois, passaremos para as particulares e, posteriormente, faremos a ação em todas as escolas de Ensino Fundamental para a revisão das carteirinhas”, menciona Marisa.

Além das unidades básicas de saúde, a ação é em parceria com a Universidade de Passo Fundo, por meio do Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde (PET- Saúde) Gestão e Assistência, envolvendo acadêmicos de diversos cursos da área da saúde.

Calendário de vacinação nas EMEIs

EMEI SANTA ISABEL - 23/09/2022

EMEI JARDIM DO SOL - 21/09/2022

EMEI RAIO DE LUZ - 22/09/2022

EMEI ANDRÉ ZAFFARI - 22/09/2022

EMEI SILOÉ ROCHA BORDIGNON - 21/09/2022

EMEI TIO PATINHAS - 23/09/2022

EMEI ESTRELA DA MANHÃ - 29/09/2022

EMEI PADRE ALCIDES - 22/09/2022

EMEI ARI SCHAEFFER - 13/09/2022

EMEI O MUNDO DA CRIANÇA - 31/08/2022

EMEI FADINHA - 16/09/2022

EMEI OSÓRIO CARDOSO TEIXEIRA - 28 e 29/09/2022

EMEI SONHO ENCANTADO - 21, 22 e 23/09/2022

EMEI URSINHOS CARINHOSOS - 26 e 27/09/2022

EMEI FRANCISCO LUIZ BIANCHINI - 21 e 22/09

EMEI TOQUINHO DE GENTE - 22/09/2022

EMEI NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS - 27/09/2022

EMEI SANTA TEREZINHA - 22/09/2022

EMEI AMIZADE - 26 e 27/09/2022

EMEI FOFÃO - 22/09/2022

EMEI MARIA ELIZABETH - 29/09/2022

EMEI BRANCA DE NEVE - 26/09/2022

EMEI CANTINHO FELIZ - 23/09/2022

EMEI GENY ARAÚJO REBECHI - 26/09/2022

EMEI JOSÉ ANTÔNIO FALCÃO - 27/09/2022

EMEI MARGARIDA - 15/09/2022

EMEI CRIANÇA FELIZ - 23/09/2022

EMEI PADRE ZEZINHO - 26/09/2022

EMEI SANTA LUZIA - 26 e 27/09/2022

EMEI CHAPEUZINHO VERMELHO - 23/09/2022

EMEI MENINO DEUS - PROFESSOR BANDANA - 21/09/2022

EMEI ABELHINHAS - 26/09/2022

EMEI PADRE PERGENTINO DALMAGRO - 28/09/2022

EMEI CANTINHO DA RITINHA - 26/09/2022

EMEI PROFESSOR JOSÉ LAUDÁRIO HAUPENTHAL - 21/09/2022

EMEI RITA SIROTSKY - 13/09/2022

EMEI VOVÓ NELLY - 22/09/2022

Programa da Prefeitura auxilia crianças com dificuldades de audição 

O Sons do Mundo é direcionado a alunos da rede municipal de 3 a 8 anos


Alunos da Escola Municipal de Educação Infantil Cantinho da Ritinha passaram, nesta terça-feira, por um teste de audição. A ação faz parte do programa Sons do Mundo, da Prefeitura de Passo Fundo, que busca identificar crianças de 3 a 8 anos com deficiências auditivas na rede municipal e assegurar que recebam o acompanhamento necessário.

As triagens do programa nas escolas serão intensificadas a partir de agora, com a compra de equipamentos de emissões otoacústicas pelo Município. Quando é detectado que a criança está com a audição anormal, ela é encaminhada para a audiometria convencional. 

Conforme explica a secretária de Saúde, Cristine Pilati, o encaminhamento dado a cada criança depende do grau de deficiência auditiva. “Muitas vezes uma solução simples como alterar a posição da criança na sala de aula já ajuda na solução do problema. Em outras situações, há necessidade de tratamento com fonoaudiólogo ou de reabilitação, colocação de aparelho de audição ou implante coclear”, explica.

O prefeito Pedro Almeida destaca que a iniciativa fortalece o Teste da Orelhinha e outras ações da Prefeitura de cuidado com as crianças, como o Olhar de Criança. Ele lembra ainda que poucos municípios possuem esse teste de acuidade nas escolas. “Avançamos no enfrentamento de condições que podem prejudicar o desempenho dos alunos em sala de aula. Temos certeza de que o programa Sons do Mundo fará a diferença na vida de muitas crianças, da mesma maneira que o Olhar de Criança e os óculos viabilizados pela Prefeitura”, afirmou Pedro.

O secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, destacou que os programas Sons do Mundo e Olhar de Criança são necessários para o desenvolvimento das crianças. “O processo de aprendizagem tem grande sustentação na oralidade: é alguém que fala para expressar o que sabe e alguém que escuta para compreender as situações. Então, o Sons do Mundo vem para criar condições para que os alunos aprendam mais, sendo somado ao Olhar de Criança na identificação, no tratamento e no acompanhamento de deficiências”, avaliou.

Público-alvo
O programa Sons do Mundo tem o objetivo de preencher a lacuna que possa existir entre crianças que realizaram o Teste da Orelhinha quando nasceram e crianças que estão em idade escolar e que, por algum motivo, possam ter desenvolvido déficit auditivo. Dessa forma, abrange as crianças da rede municipal de ensino que têm entre 3 a 8 anos.

Triagem e atendimento especializado
Os alunos são triados nas escolas por fonoaudiólogos, conforme cronograma pré-definido, com avaliação clínica, otoscopia e aplicação do teste de emissões otoacústicas. Em caso de detecção de alterações, a criança é encaminhada para atendimento especializado e realização de audiometria convencional.

Programa com muitas ações
O programa Sons do Mundo acontece em três frentes principais: a implementação de ações para promover a saúde auditiva nas escolas municipais, com enfoque em orientações de professores e pais sobre detecção de prevenção de problemas à audição; o estímulo e a observação do comportamento da criança frente aos estímulos sonoros do ambiente e os aspectos referentes à linguagem e fala como indicadores do desenvolvimento infantil durante as atividades do dia a dia; e a realização de triagem auditiva nas escolas para posterior encaminhamento para avaliação formal em audiometria convencional.

Campanhas de multivacinação e contra a poliomelite seguirão até 9 de setembro

Pais ou responsáveis se dirijam até as unidades com a caderneta de vacinação para que a situação das crianças e dos adolescentes seja avaliada

No último sábado (20), Passo Fundo realizou uma grande mobilização para vacinar crianças e adolescentes. Em 25 unidades de saúde, foram aplicadas vacinas correspondentes às campanhas de multivacinação e contra a poliomelite. O município também aproveitou a data e a abertura dos postos das 8h às 17h, sem intervalo ao meio-dia, para ampliar as coberturas contra a influenza e a covid-19.

Conforme registra a coordenadora de Vigilância em Saúde, Marisa Zanatta, a procura para a poliomelite, que busca proteger todas as crianças com até cinco anos, e para a multivacinação, que tem como objetivo a atualização da caderneta de crianças e adolescentes com até 15 anos, foi satisfatória. “Durante o sábado, mais de 1,3 mil doses da poliomelite e da multivacinação foram aplicadas. Nós chamamos os pais ou responsáveis para que buscassem a unidade de saúde mais próxima de sua casa para verificar a situação vacinal. Muitas crianças e adolescentes estavam com vacinas atrasadas e conseguimos regularizar”, enfatizou.

As campanhas nacionais de multivacinação e contra a poliomelite seguirão até o dia 9 de setembro. Em Passo Fundo, as mesmas 25 unidades de saúde que participaram do Dia D fazem as aplicações.

Marisa pontua que a vacinação é importante para a proteção individual e para evitar que doenças controladas voltem a ser espalhadas. “Por isso, pedimos que os pais ou responsáveis se dirijam até as unidades com a caderneta de vacinação para que a situação das crianças e dos adolescentes seja avaliada e para que recebam os imunizantes que estiverem faltando. No caso da poliomelite, todas as crianças com até cinco anos devem comparecer nos postos, já que a nossa meta é vacinar 95% deste público”, destacou.




Locais de vacinação
- Ambulatório de Especialidades
- Cais Hípica
- Cais Boqueirão
- Cais Vila Luíza
- ESF Adriana Lírio
- ESF São José
- ESF São Luiz Gonzaga
- ESF Adolfo Groth
- ESF Donária / Santa Marta
- ESF Mattos
- ESF Nenê Graeff
- ESF Jerônimo Coelho
- ESF Planaltina
- ESF São Cristóvão
- ESF Valinhos
- ESF Ricci
- ESF Zachia
- ESF Adirbal Corralo
- ESF Jaboticabal
- ESF Caic Edu Azambuja
- UBS Parque Farroupilha
- UBS Ivo Ferreira
- UBS Jardim América
- UBS Vila Nova / Santa Maria
- Central de Vacinas

Horários
UBS, ESF e Ambulatórios: das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30
Cais e Central de Vacinas: das 8h às 18h

Observação
Para a vacinação, é necessário apresentar caderneta de vacinação e documentos pessoais.

Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza curso para capacitar voluntários em Passo Fundo

O curso iniciará no dia 28 deste mês e ocorrerá de forma virtual, com duração de dez a doze encontros

Se você tem vontade de ser um voluntário do Centro de Valorização da Vida (CVV), o posto de Passo Fundo oferece um curso de seleção com objetivo de capacitar novos voluntários para atuarem no serviço de apoio emocional e prevenção ao suicídio.

O curso iniciará no dia 28 deste mês e ocorrerá de forma virtual, com duração de dez a doze encontros, sempre aos domingos, das 19 às 22h. Após essa etapa, os participantes realizam um estágio por noventa dias, com posterior efetivação como voluntário.

Para se cadastrar, e participar gratuitamente do curso, faça sua inscrição pelo e-mail passofundo@cvv.org.br.