Ícone

Secretaria de Cidadania e Assistência Social


Centro de Referência de Assistência Social – CRAS

O Centro de Referência de Assistência Social – CRAS é a porta de entrada da Assistência Social. É um local público, localizado prioritariamente em áreas de maior vulnerabilidade social, onde são oferecidos os serviços de Assistência Social, com o objetivo de fortalecer a convivência com a família e com a comunidade.

A partir do adequado conhecimento do território, o CRAS promove a organização e articulação das unidades da rede socioassistencial e de outras políticas. Assim, possibilita o acesso da população aos serviços, benefícios e projetos de assistência social, se tornando uma referência para a população local e para os serviços setoriais. No CRAS, os cidadãos também são orientados sobre os benefícios assistenciais e podem ser inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

CRAS I – Região Nordeste

Serviços Ofertados no CRAS 01:

Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família–PAIF: consiste no trabalho social com famílias, de caráter continuado, com a finalidade de fortalecer a função protetiva das famílias, prevenir a ruptura dos seus vínculos, promover seu acesso a direitos e o usufruto deles e contribuir na melhoria de sua qualidade de vida. O trabalho social continuado do PAIF deve utilizar-se de ações nas áreas culturais para o cumprimento de seus objetivos, de modo a ampliar o universo informacional e proporcionar novas vivências às famílias usuárias do serviço. Visando materializar seus objetivos, o PAIF desenvolve ações individuais e coletivas, como acolhida, ações particularizadas, encaminhamentos, oficinas com famílias e ações comunitárias.

Encaminhamento para o Benefício de Prestação Continuada – BPC – operacionalizado pelo INSS. O benefício corresponde ao valor de um salário mínimo nacional e podem receber:

  • Pessoa idosa, com idade de 65 (sessenta e cinco) anos ou mais.
  • Pessoa com deficiência, de qualquer idade.

A renda por pessoa do grupo familiar deve ser igual ou inferior a ¼ do salário mínimo, sendo excluídos do cálculo renda de BPC para pessoa com deficiência, BPC para idoso e Benefícios Previdenciários de idosos ou pessoas com deficiência no valor de 01 salário mínimo.

O BPC não é aposentadoria. Para ter direito a ele, não é preciso ter contribuído para o INSS.

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV: esse serviço é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias. É realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI). O SCFV possui um caráter preventivo e proativo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades dos usuários, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais. Deve ser ofertado de modo a garantir as seguranças de acolhida e de convívio familiar e comunitário, além de estimular o desenvolvimento da autonomia dos usuários. Os usuários do SCFV são divididos em grupos a partir de faixas etárias, considerando as especificidades dos ciclos de vida. O trabalho é realizado de forma a estimular as trocas culturais e o compartilhamento de vivências; desenvolver junto aos usuários o sentimento de pertença e de identidade; e fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária.

O Serviço de Convivência é executado pelas seguintes Entidades da Rede Socioassistencial no território do CRAS 01:

Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII

Centro de Juventude São Luiz Gonzaga

Endereço: Rua Carmem Miranda, 190 – São Luiz Gonzaga, Passo Fundo – RS

Telefone: (54) 3335 1941

E-mail: saoluiz@leaotreze.com.br

Associação Educativa Agostini – Centro Juvenil Mericiano (CEJUME)

Endereço: Rua Sergipe, 122 – Bairro São José, Passo Fundo – RS

Telefone: (54) 3313 6939

E-mail: agostini@agostini.org.br

Cadastro Único: Cadastramento ou atualização do Cadastro Único para os Programas Sociais do Governo Federal. Podem se inscrever no Cadastro Único as famílias que:

a) Possuem renda mensal por pessoa de até meio salário mínimo; 

b) Possuem renda mensal familiar total de até três salários.

Apresentar documentação pessoal de todas as pessoas que residem na casa, comprovante de renda e de endereço.

Público Atendido no CRAS: Famílias em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, do precário ou nulo acesso aos serviços públicos, da fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade e/ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social residentes nos territórios de abrangência do CRAS, em especial: famílias beneficiárias de programas de transferência de renda e benefícios assistenciais; famílias que atendem os critérios de elegibilidade a tais programas ou benefícios, mas que ainda não foram contempladas; famílias em situação de vulnerabilidade em decorrência de dificuldades vivenciadas por algum de seus membros; pessoas com deficiência e/ou pessoas idosas que vivenciam situações de vulnerabilidade e risco social.

Equipe de Referência: Composta por profissionais com nível de escolaridade fundamental, médio e superior.

Equipe Técnica de Referência
Coordenação – Pedagoga
Assistentes Sociais:03
Endereço: Rua Ana Néri, 485, Bairro São Luiz Gonzaga
E-mail: cras01@pmpf.rs.gov.br
Telefone: (54) 3314-5899

CRAS II- Região Noroeste

Serviços Ofertados no CRAS 02:

Serviço de Proteção e Atendimento Integral à FamíliaPAIF consiste no trabalho social com famílias, de caráter continuado, com a finalidade de fortalecer a função protetiva das famílias, prevenir a ruptura dos seus vínculos, promover seu acesso a direitos e o usufruto deles e contribuir na melhoria de sua qualidade de vida. O trabalho social continuado do PAIF deve utilizar-se de ações nas áreas culturais para o cumprimento de seus objetivos, de modo a ampliar o universo informacional e proporcionar novas vivências às famílias usuárias do serviço. Visando materializar seus objetivos o PAIF desenvolve ações individuais e coletivas, (Acolhida, Ações Particularizadas, Encaminhamentos, Oficinas com Famílias e Ações Comunitárias).

Encaminhamento para o Benefício de Prestação Continuada – BPC, operacionalizado pelo INSS. O benefício é no valor um salário mínimo nacional e podem receber:

  • Pessoa idosa, com idade de 65 (sessenta e cinco) anos ou mais.
  • Pessoa com deficiência, de qualquer idade.

A renda por pessoa do grupo familiar deve ser inferior a ¼ do salário mínimo, excluídos do calculo a renda de BPC pessoa com deficiência, BPC idoso e Benefícios previdenciários de idosos ou pessoas com deficiência no valor de 01 salário mínimo.

O BPC não é aposentadoria. Para ter direito a ele, não é preciso ter contribuído para o INSS.

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos: Esse serviço é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias que é realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI). O SCFV possui um caráter preventivo e proativo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades dos usuários, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais. Deve ser ofertado de modo a garantir as seguranças de acolhida e de convívio familiar e comunitário, além de estimular o desenvolvimento da autonomia dos usuários. Os usuários do SCFV são divididos em grupos a partir de faixas etárias, considerando as especificidades dos ciclos de vida. O trabalho realizado de forma a estimular as trocas culturais e o compartilhamento de vivências; desenvolver junto aos usuários o sentimento de pertença e de identidade; e fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária.

O Serviço de Convivência é executado pelas seguintes Entidades da Rede Socioassistencial, no território do CRAS 02:

Agentes do Amor Divino – ONG Amor

Endereço: Rua Dona Eliza 130, Vila Fátima, Passo Fundo – RS

Telefone: (54) 3313 6939

E-mail: amor@amor.org.br

Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII

Centro de Juventude Victor Issler: Rua Oliveiro Trindade, 297 – Victor Issler;

Centro de Juventude Záchia: Rua Luiz Ernesto Fazolo, 31 – José Alexandre Záchia;

Telefone: (54) 3312 3077 leaotreze@leaotreze.com.br

Lar Emiliano Lopes

Endereço: Rua Alferes Rodrigues 317, Vila Operaria, Passo Fundo – RS

Telefone: (54) 3314 2877

laremilianolopes.pf.rs@gmail.com

Cadastro Único:

Cadastramento ou atualização do Cadastro Único para os Programas Sociais do Governo Federal.

Podem se inscrever no Cadastro Único as famílias que:

a) Possuem renda mensal por pessoa de até meio salário mínimo; 

b) Possuem renda mensal familiar total de até três salários;

Apresentar documentação pessoal de todas as pessoas que residem na casa, comprovante de renda e de endereço.

Público Atendido no CRAS: Famílias em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, do precário ou nulo acesso aos serviços públicos, da fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade e/ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social residentes nos territórios de abrangência do CRAS, em especial: – Famílias beneficiárias de programas de transferência de renda e benefícios assistenciais; – Famílias que atendem os critérios de elegibilidade a tais programas ou benefícios, mas que ainda não foram contempladas; – Famílias em situação de vulnerabilidade em decorrência de dificuldades vivenciadas por algum de seus membros; – Pessoas com deficiência e/ou pessoas idosas que vivenciam situações de vulnerabilidade e risco social.

Equipe de Referência: Composta por profissionais com nível de escolaridade fundamental, médio e superior.

Equipe Técnica de Referência
Coordenação– Assistente Social
Assistentes Sociais: 03
Psicóloga: 01
Endereço: Rua Teixeira Soares, 51, Bairro Vera Cruz (Abaixo do antigo Quartel do Exército)
E-mail: cras02@pmpf.rs.gov.br
Telefone: (54) 3312-8600

CRAS III – Região Sudeste

Serviços Ofertados no CRAS 03:

Serviço de Proteção e Atendimento Integral à FamíliaPAIF consiste no trabalho social com famílias, de caráter continuado, com a finalidade de fortalecer a função protetiva das famílias, prevenir a ruptura dos seus vínculos, promover seu acesso a direitos e o usufruto deles e contribuir na melhoria de sua qualidade de vida. O trabalho social continuado do PAIF deve utilizar-se de ações nas áreas culturais para o cumprimento de seus objetivos, de modo a ampliar o universo informacional e proporcionar novas vivências às famílias usuárias do serviço. Visando materializar seus objetivos o PAIF desenvolve ações individuais e coletivas, (Acolhida, Ações Particularizadas, Encaminhamentos, Oficinas com Famílias e Ações Comunitárias).

Encaminhamento para o Benefício de Prestação Continuada – BPC, operacionalizado pelo INSS. O benefício é no valor um salário-mínimo nacional e podem receber:

  • Pessoa idosa, com idade de 65 (sessenta e cinco) anos ou mais.
  • Pessoa com deficiência, de qualquer idade.

A renda por pessoa do grupo familiar deve ser inferior a ¼ do salário-mínimo, excluídos do calculo a renda de BPC pessoa com deficiência, BPC idoso e Benefícios previdenciários de idosos ou pessoas com deficiência no valor de 01 salário-mínimo.

O BPC não é aposentadoria. Para ter direito a ele, não é preciso ter contribuído para o INSS.

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos: Esse serviço é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias que é realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI). O SCFV possui um caráter preventivo e proativo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades dos usuários, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais. Deve ser ofertado de modo a garantir as seguranças de acolhida e de convívio familiar e comunitário, além de estimular o desenvolvimento da autonomia dos usuários. Os usuários do SCFV são divididos em grupos a partir de faixas etárias, considerando as especificidades dos ciclos de vida. O trabalho realizado de forma a estimular as trocas culturais e o compartilhamento de vivências; desenvolver junto aos usuários o sentimento de pertença e de identidade; e fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária.

O Serviço de Convivência é executado pelas seguintes Entidades da Rede Socioassistencial, no território do CRAS 03:

Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII

Endereço: Rua São Roque, 739 – Bairro Bom Jesus

Centro da Juventude Bom Jesus

E-mail: leaotreze@leaotreze.com.br

Fundação Beneficente Lucas Araújo

Endereço: Av Presidente Vargas, 317 – Bairro: Vila Rodrigues

Telefone: (54) 33132775

E-mail: fundação@fundacaolucasaraujo.com

Associação das Entidades do Projeto Transformação

Endereço: Rua Capitão Aguiar, 99 – Vila Popular

Telefone: (54) 3045-1262 (54) 99697-1908

E-mail: transformacao@transformacao.eco.br

Sociedade de Aaxílio a Maternidade e da Infância

Endereço: Rua Morom, 2500 Centro

Telefone: (54) 33122909

E-mail: infanciasami@gmail.com

Programa Primeira Infância no SUAS – Programa Criança Feliz: O Programa Criança Feliz no SUAS foi instituído – nos termos do §1º do art. 24 da Lei nº 8.742, de 7 de Dezembro de 1993 – por meio da Resolução CIT n°4, de 21 de outubro de 2016. Potencializa as atenções já desenvolvidas pela política de Assistência Social às gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias e traz novos elementos para fortalecer o enfrentamento da pobreza para além da questão da renda e para reduzir desigualdades. Avança nas estratégias de apoio à família e de estímulo ao desenvolvimento infantil, elegendo os vínculos familiares e comunitários e o brincar como elementos fundamentais para o trabalho com famílias com gestantes e crianças na primeira infância. Pautado na ética, no respeito à dignidade, aos saberes e à cultura das famílias, às diversidades e na postura de não-discriminação, o Programa é orientado por um conjunto de princípios que devem ser observados no trabalho com famílias em situação de vulnerabilidade social. O Programa Criança Feliz no SUAS fortalece a referência do CRAS nos territórios para as famílias beneficiárias do Bolsa Família, com beneficiários do Benefício de Prestação Continuada e crianças e gestantes inscritas no cadastro único. As principais ações do Programa Criança Feliz no SUAS são:  visitas domiciliares: compreendem ação planejada e sistemática, com metodologia específica, conforme orientações técnicas, para atenção e apoio à família, o fortalecimento de vínculos e o estímulo ao desenvolvimento infantil, priorizando o público prioritário do Programa.  qualificação da oferta dos serviços socioassistenciais e fortalecimento da articulação da rede socioassistencial, visando assegurar a complementariedade das ofertas: abrange iniciativas voltadas à qualificação do atendimento a gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias nos Serviços de Proteção Social Básica e Especial, com destaque para: Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI) e Serviço Especializado em Abordagem Social.

Público Atendido no CRAS: Famílias em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, do precário ou nulo acesso aos serviços públicos, da fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade e/ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social residentes nos territórios de abrangência dos CRAS, em especial: – Famílias beneficiárias de programas de transferência de renda e benefícios assistenciais; – Famílias que atendem os critérios de elegibilidade a tais programas ou benefícios, mas que ainda não foram contempladas; – Famílias em situação de vulnerabilidade em decorrência de dificuldades vivenciadas por algum de seus membros; – Pessoas com deficiência e/ou pessoas idosas que vivenciam situações de vulnerabilidade e risco social.

Equipe de Referência: Composta por profissionais com nível de escolaridade fundamental, médio e superior.

Equipe Técnica de Referência Coordenação – Assistente Social

Assistentes Sociais: 02

Terapeuta Ocupacional: 01

Endereço: Rua Delmar Citone, 385 – Bairro Planaltina
E-mail: cras03@pmpf.rs.gov.br
Telefone: (54) 3312 0043

CRAS IV- Região Sudeste

Serviços Ofertados no CRAS 04:

Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família -PAIF: consiste no trabalho social com famílias, de caráter continuado, com a finalidade de fortalecer a função protetiva das famílias, prevenir a ruptura dos seus vínculos, promover seu acesso a direitos e o usufruto deles e contribuir na melhoria de sua qualidade de vida. O trabalho social continuado do PAIF deve utilizar-se de ações nas áreas culturais para o cumprimento de seus objetivos, de modo a ampliar o universo informacional e proporcionar novas vivências às famílias usuárias do serviço. Visando materializar seus objetivos o PAIF desenvolve ações individuais e coletivas, (Acolhida, Ações Particularizadas, Encaminhamentos, Oficinas com Famílias e Ações Comunitárias)

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos: Esse serviço é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias que é realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI). O SCFV possui um caráter preventivo e proativo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades dos usuários, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais. Deve ser ofertado de modo a garantir as seguranças de acolhida e de convívio familiar e comunitário, além de estimular o desenvolvimento da autonomia dos usuários. Os usuários do SCFV são divididos em grupos a partir de faixas etárias, considerando as especificidades dos ciclos de vida. O trabalho realizado de forma a estimular as trocas culturais e o compartilhamento de vivências; desenvolver junto aos usuários o sentimento de pertença e de identidade; e fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária.

O Serviço de Convivência é executado pelas seguintes Entidades da Rede Socioassistencial, no território do CRAS 04:

Assistência Social Arquidiocesana Leão XIII

Centro de Juventude Ipiranga: Rua Esteio, nº 100 – Vila Ipiranga

Telefone: (54) 3314-8179 leaotreze@leaotreze.com.br

Sociedade Cultural Recreativa e Beneficente São João Bosco – SOCREBE

Endereço: Avenida João Catapan 1297 – Santa Marta

Telefone: (54) 3314 – 20 10 socrebe@socrebe.org.br

Escola Redentorista Menino Deus: PROJETO SEMENTES DO JARDIM

Endereço: Avenida do Barão s/n anexo escola Mario Quintana – Bairro Edmundo Trein

Telefone: (54) 3314 1888 social@meninodeus.com.br

Programa Primeira Infância no SUAS – Programa Criança Feliz: O Programa Criança Feliz no SUAS foi instituído – nos termos do §1º do art. 24 da Lei nº 8.742, de 7 de Dezembro de 1993 – por meio da Resolução CIT n°4, de 21 de outubro de 2016. Potencializa as atenções já desenvolvidas pela política de Assistência Social às gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias e traz novos elementos para fortalecer o enfrentamento da pobreza para além da questão da renda e para reduzir desigualdades. Avança nas estratégias de apoio à família e de estímulo ao desenvolvimento infantil, elegendo os vínculos familiares e comunitários e o brincar como elementos fundamentais para o trabalho com famílias com gestantes e crianças na primeira infância. Pautado na ética, no respeito à dignidade, aos saberes e à cultura das famílias, às diversidades e na postura de não-discriminação, o Programa é orientado por um conjunto de princípios que devem ser observados no trabalho com famílias em situação de vulnerabilidade social. O Programa Criança Feliz no SUAS fortalece a referência do CRAS nos territórios para as famílias beneficiárias do Bolsa Família, com beneficiários do Benefício de Prestação Continuada e crianças e gestantes inscritas no cadastro único. As principais ações do Programa Criança Feliz no SUAS são:  visitas domiciliares (Visitadores Sociais): compreendem ação planejada e sistemática, com metodologia específica, conforme orientações técnicas, para atenção e apoio à família, o fortalecimento de vínculos e o estímulo ao desenvolvimento infantil, priorizando o público prioritário do Programa.  qualificação da oferta dos serviços socioassistenciais e fortalecimento da articulação da rede socioassistencial, visando assegurar a complementariedade das ofertas: abrange iniciativas voltadas à qualificação do atendimento a gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias nos Serviços de Proteção Social Básica e Especial, com destaque para: Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI) e Serviço Especializado em Abordagem Social.

Cadastro Único:

Cadastramento ou atualização do Cadastro Único para os Programas Sociais do Governo Federal.

Podem se inscrever no Cadastro Único as famílias que:

a) Possuem renda mensal por pessoa de até meio salário mínimo; 

b) Possuem renda mensal familiar total de até três salários;

Apresentar documentação pessoal de todas as pessoas que residem na casa, comprovante de renda e de endereço.

Público Atendido no CRAS: Famílias em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza, do precário ou nulo acesso aos serviços públicos, da fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade e/ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social residentes nos territórios de abrangência do CRAS, em especial: – Famílias beneficiárias de programas de transferência de renda e benefícios assistenciais; – Famílias que atendem os critérios de elegibilidade a tais programas ou benefícios, mas que ainda não foram contempladas; – Famílias em situação de vulnerabilidade em decorrência de dificuldades vivenciadas por algum de seus membros; – Pessoas com deficiência e/ou pessoas idosas que vivenciam situações de vulnerabilidade e risco social.

Equipe de Referência: Composta por profissionais com nível de escolaridade fundamental, médio e superior.

Equipe Técnica de Referência
Coordenação– Assistente Social
Assistentes Sociais: 02
Psicóloga: 01

Terapeuta Ocupacional: 01 – atua no programa Criança Feliz


Endereço: Rua Israel Bonna 78 – Integração
E-mail: cras04@pmpf.rs.gov.br
Telefone: (54) 3312-6971 e 3313-1127