PMPF Facebook

Dengue: ações de prevenção devem ser constantes

O último LIRAa apontou um índice de infestação de 5,5 em Passo Fundo

O último Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) apontou um índice de infestação de 5,5 em Passo Fundo. O número representa alto risco para epidemia, conforme divulga a Vigilância Ambiental em Saúde, da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Passo Fundo.

A época ainda é propícia para o desenvolvimento de larvas e mosquitos Aedes aegypti, transmissores da dengue, chikungunya e zica vírus. A chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental, Ivânia Silvestrin, destaca que o índice apontado na LIRAa mostrou que 50% do resultado é devido à infestação em recipientes de pratos de plantas, barris e tonéis de água. “É um índice alto e que poderia ser evitado, principalmente porque os pratinhos de flores são algo fácil de resolver, por exemplo. Recomendamos que as pessoas não os utilizem. As bromélias são plantas que também tem incidência, então as pessoas devem cuidar. As orientações para barris e tonéis de água também são sempre feitas”, disse ela.

Ivânia ressalta a importância de eliminar os criadouros de mosquito para que no próximo verão o índice não aumente. “Se as pessoas não colaborarem, temos uma iminência de ter epidemia no próximo verão”, finalizou.

A principal ação para mudar este quadro é simples: não deixar água parada e eliminar ambientes que possam servir de criadouros. São em locais com água parada onde se encontra o ambiente propício para depositar ovos e desenvolver as larvas e mosquitos. Outra orientação é que a população permita que os agentes de Combate às Endemias acessem terrenos e residências para fazer a fiscalização.

Sem casos confirmados

Apesar das notificações, não foi confirmado qualquer caso das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti na cidade. Dos 16 registrados, todos deram negativos.